Sunday, September 14, 2014

POSTAGEM DO FACEBOOK SOBRE WEBSERIES DE TERROR - AUTORIA DA POSTAGEM - LEO CUNHA

Copio abaixo postagem do Amigo Leo no Facebook explicando o que é, e especialmente, como assistir, as slenderséries..  resolvi postar no blog depois de ter um enorme trabalho para encontrar essa postagem, e pq sei que ela ainda me será útil - ainda não iniciei a imersão, rs- e postando aqui fica muito mais fácil encontrá-la depois , pq infelizmente o face.... enfim.. é o face.. 

" [95,7% OFF]
Whovians, estou fazendo esse post depois de muita elaboração, pois em todos os encontros que eu fui era perguntado sobre ou o assunto surgia, então resolvi dedicar uma parcela de meu tempo para eternizar na rede mundial de computadores o meu discurso que eu repetia toda vez. Gosto de repetir, mas achei isso pratico e vocês merecem 
O texto é grande, mas tentei deixar bem dinâmico pra não ficar cansativo.
Vai ficar ai pra sempre você lê quando tiver saco/interesse/curiosidade
;D
--- INTRODUÇÃO AS SLENDERSÉRIES - O GUIA DEFINITIVO ---
(insira word-art de sua preferência)
"Dafuk Léo, o que é slenderseries?". São web-series feitas por adolescentes americanos (meros mortais como eu e você, e não atores e diretores profissionais), cuja historia gira em torno deles e seus amigos tendo encontros com o SlenderMan, ele mesmo o bixo-papão do século XXI, e em alguns casos outros monstros tb. Mesmo que amadoras elas são de uma execução extraordinária, histórias incríveis, Plot twists, e são a coisa mais perto até hoje de uma Série de Terror/Horror.
(Nota aos fãs de AHS e Penny D, Nada contra essas séries mas elas NÃO SÃO TERROR)
"Como elas conseguem assustar e essas series fodonas não conseguem?" Porque na verdade elas não são series e sim ARGs, jogos de realidade alternada. Ou seja, os vídeos são lançados em tempo real, o fato de eles serem vídeos postados no YouTube faz parte da historia, e em quase todos há também contas de Twitter e ate blogs de personagens a serem seguidos, por isso alguns conseguiram ficar bastante complexos com o tempo. isso somado ao estilo "gravação encontrada" fez com que ate hoje a maioria dos comentários nos vídeos sejam de gente confusa perguntando "wow, isso é montagem, ou aconteceu de verdade??"
"ta mas se são americanas e gravadas com som amador como eu vou entender?" Ai que entra o motivo do post. Existe um, e apenas um, canal no YouTube legendando essas series, o canal da Inútil Erudita. Ela é uma garota de Porto Alegre, que legenda sem nenhum lucro, apenas pela felicidade de se fazer conhecer essas series fodas.(ela é whovian tb)
Uma vez, quando a demanda estava hard pq ela estava traduzindo muitas series ao mesmo tempo, além de VIDA FORA DA INTERNET, ela fez um vídeo pedindo ajuda para quem estivesse disposto a ajudar, e acabou por selecionar 5 pessoas, sendo uma delas......Eu, hahahahahah. Então ate hoje ajudo ela com alguns vídeos de algumas series, pq atualmente ela ta meio parada pq ta sem note mas ja esta com vários prontos pra upar.
"Ta Léo você falou pra porra e não disse como eu começo a ver" Bom vamos lá então, pra isso eu preciso te falar de cada uma das séries legendadas.
# 01) MARBLE HORNETS: esse é o "Classic Who" das slenderséries. A primeira de todas, a maior das 5 mais famosas e aquela que introduziu mil conceitos que as outras pegaram para si e aperfeiçoaram. Foi a primeira a ser legendada e já alcançou o canal original (o ultimo vídeo postado já foi legendado). Por ter sido a primeira é uma das mais simples, vai ficando elaborada com o tempo mas nada que impeça você de começar por ela, apesar de hoje em dia eu achar ela "parada" demais. ela já tem o que pode ser considerado 4 "temporadas" completas, e as 2 primeiras são excepcionalmente boas. "tudo começou com 2 amigos fazendo um filme..."
Link para playlist da serie toda: https://www.youtube.com/playlist?list=PLFAD7EC4E489EAE93
RECOMENDO COMEÇAR A VER POR AQUI:
# 02) TRIBLE TWELVE: A 2a mais famosa, e minha favorita disparado. Roteiro digno de Oscar, com mistérios e plot twists na medida certa, personagens carismáticos e ate crossover com outras series! Não se deixe enganar pelo fato dele parecer o Fiuk, o personagem principal, Noah, vai lhe deixar cativado como se fosse um companion, e ate ships podem rolar. Tem uma temporada (perfeita) terminada, e o criador da serie já avisou que tudo vai se resolver na segunda temporada. RECOMENDAÇÃO MÁXIMA. Também já alcançou o canal original e tudo lançado ate agora já está legendado. "tudo começou com um canal em memoria de meu primo..."
Link para playlist da serie toda: https://www.youtube.com/playlist?list=PLF29C1400121F6DBC
# 03) EverymanHYBRID: Aqui o bagulho começa a ficar louco...A terceira serie mais famosa é também a mais complexa de todas. Temas como reencarnação, teoria quântica e realidades alternativas estão sutilmente no pano de fundo dessa historia que se espalha por blogs, twitters e ate uma conta no YouTube do irmão de um dos protagonistas para falar de seu cachorro. GRAÇAS A JAH, a inútil compila tudo que aconteceu de importante entre um vídeo e outro e coloca um link para leitura (traduzida) na descrição dos mesmos. Não recomendo começar por aqui, mas quando você já estiver apaixonado pelo conceito da slender-serie, esse é sem duvidas o prato principal. "e pensar que tudo começou com um canal sobre dicas de saúde..."
Ah, e tem outros monstros nesse.
Link para playlist da serie: https://www.youtube.com/playlist?list=PLmUyG-rKCNyFOducRaWC57YzpnxQBy2rT
# 04) Dark Harvest 00: A 4a maior serie e minha 2a favorita, traz novidades bem pontuais em relação as outras, como a presença de um culto que venera o Slender, e de rolar um crossover com TribleTwelve, que traz repercussões para as duas series mais cedo ou mais tarde. A partir de um certo ponto os vídeos começam a ser legendados por mim, o que também é legal . Ah, e os protagonistas são nerds. Vale a pena começar por aqui também. "tudo começou com uma porta que se trancou sozinha em minha casa..."
Link para playlist da serie: https://www.youtube.com/playlist?list=PLmUyG-rKCNyExqrLecf7mZNGjg2Ltsd7O
# 05) WHISPERED FAITH: A quinta maior série, MLanderson, ainda não foi legendada. Whispered Faith, na verdade, é uma série onde o protagonista é perseguido por outro monstro, o THE RAKE, e não o Slender. É tão boa quanto as outras e também tem um culto do mal, porem esse é muito mais "do mal" que os outros. Ainda não tem previsão de acabar mas vale a assistida. ""Decidi postar isto só para que as pessoas vejam o que está acontecendo..."
Link para playlist da serie: https://www.youtube.com/playlist?list=PLmUyG-rKCNyFH-LyRsQFzfRX8PcIl-FjC
# 06) KERATIN GARDEN: Involuntariamente cômica por começar como um canal sobre Manicure, essa não é nem de longe uma das series mais famosas, e a Bruna me pediu para legenda-la mais pelo fato de essa serie fazer crossover importante com Whispered Faith do que outra coisa. Mas mesmo assim vale a pena assistir, pois ela é a única com uma protagonista mulher e focada em monstro totalmente diferente das outras, o big black dog. E claro pq foi quase toda traduzida por mim xDD "E aí, pessoal! Sou a Story Parker, com uma pequena introdução à manicure..."
Link para playlist da serie: https://www.youtube.com/playlist?list=PLmUyG-rKCNyE0OLM6bGUXwZOw3ohiC9CU
por enquanto é isso, usem os comentários para dizer o que acharam (dos vídeos ou do texto) ou se tiverem qq duvida. De nada! "


Wednesday, December 25, 2013

Poesia sem título n.372

Um dia vai,
um dia vem,
os passos não marcados deixam marcas no chão,
o chão tenta mas pouco consegue marcar os transeuntes,
salvo os que andam descalço e os que tropeçam.

Um dia vai,
um dia vem,
um dia é,
e ser é uma coisa esquisita mesmo para dias, noites e afins.

Esquisito, o dia que é segue sendo,
enquanto os que não são não o invejam, pois nada podem - sequer invejar,
e enquanto segue sendo nele sonhos se formam e se destroem,
vidas se criam e se destroem,
vidas que seguem se reencontram,
consciências se permitem melhor conhecer, ou ignorar,
votos se erguem em prol dos que festejam e são festejados,
votos se erguem em prol dos que - no dia que é- aniversariantes o são.

Felicidades no dia que é,
e nos que vierem a ser.

Abraços
nilo santana

20:23- 03-04-2013

Encontrei entre meus arquivos no notebook, devo ter escrito para o aniversário de alguem, não me lembro o de quem, infelizmente não coloquei aqui.. :/

Sunday, August 25, 2013

BLING RING

Então.. acho que há mais filme do que história ali... a impressão que tive é que com aquele roteiro, foi feito algo bem próximo do melhor possível.. tudo bem que o roteiro também é assinado pela sofia coppola, mas enfim, considerando roteiro e direção como dois momentos distintos, vou esquecer desse detalhe para seguir nas minhas considerações, rs...

acho que em verdade sou fã de histórias.. o cinema vai no embalo, talvez como mídia favorita para veicular as tais histórias.. bling ring meu deu um pouco ao final a sensação de pastel de feira, é lindo encorpado mas após a primeira mordida vc percebe que é meio oco por dentro e muito vento.. só que sofia consegue te levar, ao menos conseguiu me levar, até o final, e vc só percebe que havia muito vento ali no meio quando o filme acaba, ou um pouco depois.... tem umas sacadas legais no roteiro também, mas acho que no geral falta mais substancia no roteiro para acompanhar a qualidade do filme... ou melhor, falta mais história sendo contada.. mas o recursos, as idas e vindas na narrativa, tudo isso se encaixou muito bem na minha opinião, tão bem que vc quase não percebe a falta de histórias.. mas enfim, se vc não for aficionado por histórias talvez não tenha o mesmo problema que eu tive com esse filme..

de resto, o filme conta algumas histórias, ou recortes de histórias, que são bem legais.. tem várias sacadas otimas, como a referencia expressa feita por um dos personagens à história de bonnie e clyde, mas muito vento entre uma sacada e outra.. bem preenchido por cenas bem feitas, recortes, idas e vindas.. enfim.. se um roteiro com mais "sustancia e menos vento" ali estivesse e talvez esse filme entrasse pra lista dos meus favoritos..

e claro.. tem a hermione lá....

Thursday, July 25, 2013

rimas tortas de sono a sonhar




E quando o sono busca,
se moldar em sonho
e o cansaço vem,
a lhe acompanhar.

a rima torta escapa, 
do ouvido da lógica
e tudo turva aqui
ou mesmo acolá.

Estranhos invisíveis, 
dão a cara tapa, 
Palavras desconexas
a te atormentar,
a te entrevistar, 
a te revistar.

E quando o sono busca,
se moldar em sonho
e o cansaço vem,
a lhe acompanhar

eu que já fui um dia,
passo a transitar.

Sem forma já não sou, 
será que um dia fui?, 
sem forma, 
tudo turvo, 
em tudo estou e não me caibo. 

estranhos invisíveis dão a cara a tapa, 
palavras desconexas buscam se arranjar, 
eu já não sei quem fui, 
mas quase sei quem finjo, 
e já não lembro o nome que há de me salvar.


a rima torta escapa, 
do ouvido da lógica, 
a lógica descansa- e sonha-
em outro não lugar. 



Monday, July 22, 2013

criando um novo gênero - mini contos sonhados - CONTO 1 - corredores.


Eu tive um sonho.
Sonhei que a carregava nos ombros e de mãos dadas, dedos entrelaçados, percorríamos os corredores do colégio em que cursei o primário e o ginásio. A única sala em que estudei e consegui mostrar-lhe foi a da primeira série. Embora não lembrasse mais o nome da professora, a sala ficava bem próxima da escada – a primeira sala à direita, para quem sobe, e a última a esquerda para nós, que seguíamos na direção oposta – e por isso foi a mais fácil de encontrar, mesmo em sonho.

Ela não parecia se importar muito com nada daquilo, não fazia perguntas sobre como era naquele tempo, nem em qual cadeira eu costumava me sentar, mas parecia feliz e inebriada com o fato de passear por aí, em meus ombros, em meus sonhos.
Nós não descemos as escadas, pelo que me lembro, não achei muito prático fazê-lo com ela em meus ombros, nem pensava na ideia de descê-la de mim e deixá-la seguir a meu lado. Voltamos de onde viemos e em algum momento vejo alguns amigos em comum deitados em almofadas, resolvo deitá-la lá também e a desço de mim.

Permanecemos de mãos dadas, mas percebo que o fato de os amigos em comum terem se transformado em conhecidos apenas meus e estranhos para ela, a deixou um pouco desconfortável ali e voltamos a nos mover, agora, porém, ela segue a meu lado, dedos entrelaçados sempre.

Paramos no meio do corredor, ela de costas contra a parede, eu colado a ela, passo a mão por baixo de sua blusa e pela primeira vez toco diretamente na pele de sua cintura, barriga e costas- não, não cheguei aos seios, não que eu me lembre, havia muitas pessoas passando por aquele corredor isso poderia tê-la constrangido, ao menos ali e naquele momento- os rostos próximos e mais uma vez eu sentia seus lábios junto aos meus e era muito bom.

Pouco falamos sobre nós depois das primeiras palavras. Primeiro porque foi um sonho curto, segundo porque as primeiras palavras foram constrangedoras. Ela disse um “i love u” quase ininteligível e eu, surpreso com aquilo, me percebi dizendo “eu te amo também”, ou “eu também te amo”, não lembro ao certo. Isso foi quando a coloquei colada contra a parede, na mesma posição em que estávamos agora, e a beijei pela primeira vez. Foi incrivelmente mágico, embora digam que todo o sonho seja de certa forma mágico acredito que você possa deixar um pouco esse detalhe de lado para entender o que eu quero dizer com isso. Foi todo esse contexto que me fez dizer o “eu também te amo”, foi quase como um grito de comemoração, um grito de felicidade histérica, do qual me arrependi assim que o percebi saindo de minha boca. Mas, uma vez dita a frase achei melhor não negá-la, até porque se não via certeza suficiente para afirmá-la para negá-la é que certeza não havia nenhuma mesmo.

E logo depois dos primeiros beijos, da primeira declaração dela sussurrando praticamente para que eu não a ouvisse, e da minha declaração em alto e bom som, embora sem nenhuma certeza interna da verdade daquilo que era dito, logo depois, eu a colocava sobre meus ombros e, dedos entrelaçados como símbolo da intimidade e cumplicidade recém-conquistada e que eu queria manter a todo custo, seguimos pelos corredores do meu antigo colégio, onde estudei o primário e ginásio.

E agora, de volta à posição dos primeiros beijos, eu a beijava e a tocava, e me deixava perder ali, naquele momento que se sustentava no ar, como se já antevendo o fim do sonho que se aproximava. Pouco nos falamos, muito nos sorrimos, algo nos beijamos, muito nos sentimos.





Sunday, June 30, 2013

criando um novo gênero - mini contos dedicatória.. CONTO 2 - livro dedicado: o ultimo do neil gaiman.. O oceano no fim do caminho



Talvez você pense em mim e na minha função no mundo, no que eu faço para viver, como algo que, mesmo que nem sempre isso seja verdade, mereça ser responsabilizado pelas piores tragédias ocorridas aqui e além.

Talvez você pense que é por causa de pessoas como eu, que a 3ª lua de Bariluz explodiu espalhando radiações mortais e bolhas de improbabilidade por uma raio de milhares de anos luz.

Talvez você pense isso tudo e talvez, talvez, você tenha um pouco de razão nisso. Somos ladrões de magia, seguimos e rastreamos caminhos alheios, já trilhados ou a trilhar, e roubamos um pouco da magia deles.

Confesso que embora algumas vezes eu tenha orgulho do que faço, em alguns momentos tenho dúvidas, vergonha até, mas seguimos ordens.

Nós crescemos aprendendo que o exagero pode ser ruim, muito ruim. E quer saber o que mais? Nós acreditamos, eu acredito, que o que fazemos tenta um pouco restaurar o equilíbrio do universo.

Não sei porque lhe escrevo essa carta, nem sei quem é você, se fará algo importante, se serei executado por nada, nem se o que eu fiz será lembrado.


Mas nada disso importa. Depois que eu conheci aquele que é por todos temido, mal falado, aquele que é o Demônio entre nós, que já somos afinal os demônios do universo, depois que eu o conheci, minha vida não podia ser mais a mesma.

Na verdade eu continuo com os mesmos sonhos, apesar das acusações que eu teria sido acusado (sic- leia-se corrompido) pelo Nefasto. Ele não me cooptou. Eu ainda acredito no perigo do excesso. Mas depois de conhecê-lo eu percebi. O que já havia de dúvidas em meu ser se transformou em certezas. Há excessos.

Eu já presenciei e já participei de operações em que toda, ou quase toda a magia de um caminho foi roubada. Qual o equilíbrio que pode haver nisso?

Ele me contou de um tempo em que não havia ordens. Éramos educados a aprender, perceber e decidir. Éramos os guerreiros do equilíbrio e somente o ser que estava no campo de operação decidia o que havia em excesso e deveria ser extraído.

Mas ele me falou que com o poder vem a ganância, e da ganância vieram as ordens.

Eu, vi o seu caminho. No seu caminho havia um oceano, 3 peixes e 2 gatos. Não me pergunte o porquê de apenas 3 peixes em um oceano. Era o seu, era a sua magia.

No seu caminho havia 1 oceano, 3 peixes e 2 gatos. E eu não sei bem o porque mas achei aquilo tudo muito lindo. Nadei por eternidades inteiras em seu oceano sem sair do lugar. Quando voltei a mim mesmo, percebi que meu destino já antevisto pelo Nefasto finalmente iria ocorrer. Você desobedecerá, ele dizia, e nesse momento você irá morrer, você será condenado e executado sem piedade.

Pois bem, vi e me apaixonei por seu caminho, pela magia que há nele, e não resisti. Selei seu caminho. Mas não se preocupe. Ele nunca estará selado para você, porém nenhum outro de minha raça poderá nele entrar para roubar um pouco de sua magia.

Espero que você faça um bom uso dele, afinal de um certo modo dei minha vida por ele. Na verdade, pensando melhor, não espero nada de você.

Não espero que você faça um bom ou mau uso de seu caminho. Não espero nada. Eu não morri por você. Morri pelo seu caminho. Ele era tão lindo, tão mágico, que fez parecer que vivi minha (vida), que trilhei todos os meus caminhos apenas para chegar aqui e proteger, selar, o seu.

Nós não somos demônios, muitos de nós tem dúvidas. Ainda acredito no que somos ensinados a acreditar. Os excessos são perigosos. Talvez por isso ao salvar um caminho assim tão mágico eu deva morrer.

É o equilíbrio.
Mas onde há magia há esperança.
Há um oceano, 3 peixes e 2 gatos em seu caminho.
O meu acaba aqui.
São minhas últimas palavras.
Viva bem.

Oi (omitindo o nome da aniversariante) esse é um “conto” dedicatória, já que não podia escreve nada no livro para o caso de você trocá-lo.
Beijos e felicidades, e que muitas obras de Gaiman ainda passem por seus caminhos.
SSA, 29.06.2013 21:00 hs.


OBS- acho que ao escrever esse já estava um pouco mais alto (bebado) do que o primeiro, até gostei mais da história, talvez por gastar mais de gaiman do que de frida, porém achei o outro mais redondo- eternidades inteiras - por exemplo não achei uma expressão de bom gosto... eternidades soa muito melhor , efeitos da amarula, que é por sinal um líquido de muito, muito bom gosto.. 
as partes em parenteses do texto são partes que eu "comi" uma palavra (vida), ou não consegui entender o que escrevi, pois a palavra que pareço ter escrito não faz o menor sentido ali naquele local em que se encontra. : ( acusado (sic- leia-se corrompido) ).






criando um novo gênero - mini contos dedicatória.. CONTO 1 - livro dedicado: alguma biografia da frida kahlo, não me recordo qual exatamente.



Passeava ali, entre os quadros, e eles me devolviam o chão a pouco roubado, passeava ali entre os quadros, todos, em tese, estáticos, indiferentes à indiferença alheia, indiferentes ao teu choro, indiferentes ao teu sorriso, ao teu toque, indiferentes ao teu aperto de mão.

Passeava ali entre os quadros, que me davam chão mas pairavam no ar quando eu apagava as luzes, passeava entre os quadros, todos, em tese, estáticos, você me diria: todos congelados em um único momento, em uma singularidade, uma verdadeira homenagem à dádiva de existir, ao poder ver e perceber, a sucessão de eventos como movimento, embora cientificamente a ideia que temos de movimento pareça toda muito errada.

E você me diria tudo isso e eu entenderia apenas partes, fragmentos, mas aceitaria o seu toque, o seu abraço, o seu estar ao lado, e isso me confortaria.

E agora passeio entre os quadros, quadros que pintei enquanto você ria, na cama, quadros que pintei enquanto chorava, pois sabia que você estava com ela, quadros que pintei sem pensar em você. Em todos eles, é a mesma memória de sua presença que me dá chão. Mesmo quando estou deitada, inválida, incapaz de me mover e andar, quando o chão parece a menor de minhas necessidades, uma futilidade imbecil de quem não consegue dar valor ao que temos de bom, porque não vejo nada de bom em momentos como esse.

Mesmo nessas horas, você sem saber me oferece o chão e eu agradeço, por um chão que não caminharei, mas saberei que sempre estará lá.
Os quadros....
Você, a vida...
Viva a vida.

(omitindo o nome da aniversariante), felicidades, é um mini conto e o eu poético é livremente inspirado no pouco que sei de Frida. Espero que entenda minha letra. E que a cada dia consiga entender mais sobre você mesma, sobre o que lhe faz feliz e sobre o que mesmo lhe fazendo triste você saiba que é importante vivenciar.


Bjs e votos felizes, hoje e sempre. 

Friday, June 14, 2013

A VERDADE REVELADA



A culpa da coisa toda foi de Paul Hellyer. As declarações de um ex ministro de defesa do Canadá, mesmo o Canadá sendo um país que fica ali, escondido atrás dos Estados Unidos da América, bem, mesmo assim, causaram repercussão. Até então, ao menos a necessidade de se manterem até certo ponto ocultos do grande público, garantia algum grau de diálogo e convivência pacífica entre as diversas espécies de extraterrestres que atualmente habitam a orbe terrestre. Com as declarações de Paul Hellyer parece que as coisas ficaram bem, digamos que, um pouco tensas. Divergências iniciais acerca de como lidar com a nova situação, se algo precisava realmente ser feito ou se as declarações do ex ministro não alteraram significativamente o panorama mundial começaram a se revelar. Desse ponto para o reavivamento de outros conflitos de interesse, antes deixados um pouco de lado em prol do interesse comum em passarem desapercebidos do “grande público”, não foi preciso muito esforço. O modo nem sempre racional e equilibrado de resolver conflitos não é exclusividade da espécie humana.

Segundo relato de um pleidiano, o lado bom dessa coisa toda, é que ao menos as suspeitas de atividade ilícitas do povo de Orion na capital paulista se confirmaram. É a coisa do tragicômico, trágico para os alguns paulistanos e para os seres de Orion1, que tinham esperanças em prosseguir em segredo com suas atividades.

Nesse ponto do relato é importante frisar uma coisa, nós humanos somos dotados de livre arbítrio. Sim, por mais que em alguns momentos você ache que os seres a seu redor não o possuam, isso é pura impressão, o livre arbítrio existe, a permanência no erro é burrice mesmo, ou excesso de couraças caracteriais, como diria o Reich. Mas voltando à questão central, dito que temos livre arbítrio, o que aconteceu recentemente em São Paulo não pode ser creditado exclusivamente ao povo de Orion. Os seres de Orion só possuem habilidade psíquica de amplificar emoções e ou pertubações mas não são capazes de criá-las do nada. Resumindo os policiais paulistanos que se exaltaram e cometeram atrocidades talvez sejam mau pagos mas não são santinhos.

Feita essa breve digressão, chegamos então na questão central, porque o vinagre? É dito a boca pequena – salvo quando se trata dos adromedinos, visto que estes possuem bocas largas, apesar de dentes pequenos- que apenas os pleidianos sabiam que a combinação de vinagre e algumas substancias liberadas pelas bombas de gás usadas pela polícia paulista poderiam afetar os seres de Orion do modo que afetou. Disso surgem algumas perguntas inquietantes, afinal a confusão do vinagre foi mera coincidência, ou algo planejado pelos pleidianos.

Bom isso nunca vamos saber, eu pelo menos, mesmo que soubesse, não me arriscaria a dizer em público. Tudo o que sabemos, extra oficialmente, é que a combinação de vinagre com algumas substâncias liberadas nas bombas de gás usadas pela polícia paulista, produz uma radiação indetectável por instrumentos terrestres, e inofensivo a todos os seres vivos, salvo, de acordo com o que sabemos até hoje, quanto aos seres de Orion.

Parece piada, mas a verdade é que já nos protestos anteriores os Orianos, instalados que estavam no subterrâneo paulistano, atuando em faixa vibratória indetectável por instrumentos terráqueos, começaram a apresentar sinais de uma estranha alergia, causada por um pequeno uso de vinagre pelos manifestantes. Alguns seres de Orion foram vistos em público – publico extraterrestre explique-se – com claras reações alérgicas. Bom se não foram os pleidianos que tiveram a ideia inicial, com quase certeza depois de perceberem o que estava acontecendo, eles devem ter dado um jeito de que mais manifestantes levassem vinagre para a manifestação. Há boatos que alguns chegaram mesmo a comprar diversas garrafas para distribuir entre os manifestantes.

É quase pacífico, entre os que atuam nesses bastidores, que a ação deliberada e truculenta da pm paulistana em busca de vinagre é fruto de ingerência de seres de Orion junto a secretaria de segurança pública. Dito isso, se a truculência -violência desnecessária- não pode ser atribuída exclusivamente à influência dos seres de Orion, ao menos essa confusão, essa perda momentânea do bom discernimento permitindo que se concluísse que não havia nada de muito estranho em prender pessoas por portarem vinagre, ah, isso sim, com quase toda a certeza disponível, pode ser atribuído aos seres de Orion, mestres na arte confundir, ludibriar e assemelhados. Muitos dizem que a divindade Loki é inspirada em contatos de terrestres com orionia..., ops, com seres de Orion.

Por fim, é importante esclarecer que daqui pra frente é com a gente. Ou seja, os seres de Orion desmascarados que foram pelos paulistanos, ou pelos pleidianos a sonoridade dos dois termos é até parecida, tiveram que adotar postura um pouco mais humilde e aceitaram acordo com as demais espécies e admitiram certa vigilância sobre suas atividades por aqui. Moral da história, quando a razão e equilíbrio não une, o inimigo comum, ou uma adversidade externa pode acabar fazendo o trabalho que não conseguimos fazer por nós mesmos. O episódio do vinagre parece ter posto um fim ao clima de tensão iniciado com as declarações de Paul Hellyer, revelando os secretos planos dos seres de orion e permitindo que uma nova rodada de paz, ou algo próximo disso, se inicie. Mas isso em relação aos extraterrestres, o que resta saber é se a secretaria de segurança pública paulista, após sentir o gostinho da truculência, do prazer do poder brincar com a vida e dor alheia, vai largar o osso, digo os cassetetes, bombas e demais artefatos fetichistas.






1Não há ainda um termo usual para designar os seres de Orion. O termo Orianus caiu em desuso quando alguns extraterrestres que dominavam a língua portuguesa iniciaram uma campanha de trocadilhos. Sabe-se que pelo menos cerca de 7 a 11 extraterrestres faleceram no que ficou conhecido como “a piada mortal”, “a piada que mata”, ou ainda “não é saudável confundir partes do corpo com partes do nome”.